Seguidores

Fdeandrea Atividade Física e Saúde

sábado, 2 de agosto de 2014

“Personal trainer ou treinador pessoal, qual a importância deste profissional”

O Treinamento Personalizado é definido como treinamento com aplicação adequada de sobrecarga com intuito de aprimorar o condicionamento físico, indo de encontro aos objetivos do aluno contratante (1).
O prestador deste serviço, treinador pessoal ou personal trainer deve possuir formação superior em Educação Física com qualificação em treinamento desportivo, fisiologia do exercício, anatomia e biomecânica, apto para a prescrição de treinamento físico individualizado (2). Antes de se contratar um personal trainer, o cliente deve certificar-se que a formação em Educação Física deste profissional está concluída e, de preferência, que o mesmo possua título de especialista na área (3).
O crescimento do segmento de atividade física e saúde, a procura cada vez maior por uma vida ativa e o desejo de se ter ao alcance um treinamento individualizado impulsionaram no mercado da Atividade Física a tendência de contratar o seu próprio Professor Particular, o tão cobiçado “Personal Trainer” (4).  A necessidade de motivação e acompanhamento para a prática de atividades físicas, orientadas de forma personalizada, faz com que as pessoas sejam conduzidas a procurar esse profissional (4).
O Personal Trainer precisa acompanhar as tendências do mercado de fitness com o objetivo de repensar seus programas de treinamento, visando alcançar uma permanente atualização de sua intervenção profissional. Assim, foram criadas ações que pudessem trazer mudanças em suas propostas de treinamento, buscando melhorias das capacidades funcionais e estruturais dos corpos dos seus clientes (5).
O serviço de Treinamento Personalizado é uma das formas do profissional administrar, conduzir e reconstruir novos valores a fim de se manter e estabelecer em um mercado novo e promissor no seu campo de intervenção profissional (6).
A motivação é um fator que vem sendo estudado por ser responsável pela busca de objetivos das pessoas , a motivação é um tipo de força interna que surge, regula e sustenta todas as nossas ações (7). Cunha ressalta a importância de o professor saber o nome dos seus alunos e como isso melhora e aproxima a relação professor-aluno, fazendo com que eles sintam-se reconhecidos, motivo pelo qual possa influenciar na adesão às aulas de ginástica ou musculação (8).
Lubisco justifica o aumento da procura por um trabalho individual pelo fato de os indivíduos desejaram uma pessoa ao seu alcance, um profissional capaz de lhe dar resultados mais rápidos e que se ajuste aos seus horários (9).
Melher também mostra que a procura pelo profissional se dá pelo objetivo de resultados rápidos, que atendam às expectativas dos alunos e a individualidade de cada um, seja pela busca da saúde, estética ou pelo condicionamento físico, que são os motivos mais procurados pela maioria dos alunos (10).
É importante identificar as razões pelas quais os alunos buscam um trabalho personalizado, conhecer o aluno e seus objetivos, torna-se importante tanto para a adesão quanto para a aderência nas aulas de personal trainer. No estudo de Sombrio , em que ele busca os motivos de adesão à prática de exercício físico por parte dos alunos de personal trainer, dentre homens e mulheres, buscam um acompanhamento personalizado para melhorar ou adquirir saúde e qualidade de vida, sendo, muitas vezes, levados a essa escolha pela falta de tempo por conta de emprego, fazendo com que busquem um melhor aproveitamento do tempo disponível. A questão da estética aparece em terceiro lugar na pesquisa de Sombrio e pode estar relacionada à importância que a sociedade dá para a imagem corporal, sendo buscada em maior número pelas mulheres. Pode-se inferir, ainda, que existe uma conscientização maior acerca da saúde por parte dos participantes (11).
  Com a oferta do serviço do treinamento personalizado em processo de demasiada procura, o domínio do conteúdo é essencial, pois algumas mudanças como o exigir mais dos profissionais que abraçaram tal carreira à medida que o avanço da tecnologia é bem mais frequente. Sobre o domínio técnico, Bompa afirma que a intervenção do Personal Trainer está relacionada aos conhecimentos fisiológicos, psicológicos, planejamento desportivo e nutrição esportiva (12).
O sucesso deste profissional é visualizar que o marketing é fundamental para a atuação do treinador personalizado frente ao mercado. Várias estratégias de marketing são prescritas com vistas ao êxito nesta fabricação de clientes para a empresa personal trainer, como: estabelecer parcerias (médicos, fisioterapeutas, academias, quiropratas), mandar mensagens de felicitação em datas especiais para os clientes, fazer propaganda emtodos os meios de comunicação possíveis e criar seu próprio slogan. Sites promocionais,cartazes, folders, slogans, propagandas em vias públicas e em jornais e revistas de tiragem diversa constituem-se em instrumentos de marketing indicados pela literatura para a promoção do personal trainer.

Conclusões:


Em um mercado competitivo, como o do Treinador Pessoal, o conhecimento do perfil do cliente é fundamental para a elaboração de estratégias de mercado que atendam aos objetivos e necessidades do público alvo. Essa necessidade remete à visão do personal trainer como empresa, corroborando com o que é estipulado pelo Conselho Federal de Educação Física (13) que afirma que as condições necessárias para o exercício da profissão, além da conduta ética e a habilitação legal, incluem aspectos como capacitação empresarial.
Oliveira (14) enfatiza que “o personal é um profissional que, com boa dose de criatividade, tornará suas aulas motivantes e com resultados positivos. Tornando-se um profissional diferenciado quando cria condições para o aluno  desenvolver a atividade com segurança e prazer”. O autor relata durante a sua obra a  necessidade de uma formação profissional além do aspecto físico, concluindo que os  clientes que utilizam o serviço do personal trainer são pessoas com excelente formação, bem  informadas e que buscam profissionais sérios, que cuidem muito bem de sua saúde. O  autor nos traz uma nova visão na relação personal trainer - cliente, que adentra na  existência moral da questão. Para ele a atividade física exige do praticante o equilíbrio  entre seus interesses desportivos e sua vida profissional, social e familiar, acrescentando  que o personal trainer é antes de tudo um educador, um modificador de comportamentos.
Concluindo que as principais características que este determinado profissional tem que ter são:

- ética.
-profissionalismo.
-conhecimento técnico e científico.
-curiosidade em estar sempre procurando conhecimento.


Referências:


  1. 1-    GUEDES Jr, D. P.; SOUZA Jr., T. P.; ROCHA, A. C. Treinamento Personalizado na musculação. São Paulo: Phorte, 2008.
  2. 2-    OLIVEIRA, R. C. Personal Training. São Paulo: Atheneu, 1999.
  3. 3-    ANVERSA, A. L. B.; OLIVEIRA, A. A. B. Personal trainer: competência profissional demandada pelo mercado de trabalho. Pensar a prática. v. 14, n. 3, p. 1-17, 2011.
  4. 4-    MOTA, J. Envelhecimento e exercício – atividade física e qualidade de vida na população idosa. In:Esporte e Atividade Física: interação entre rendimento e saúde, Barbanti, Valdir J. (org.). Barueri, SP: Manole, 2002.
  5. 5-    FORGE RL. Mind-body fitness: encouraging prospects for primary and secondary prevention. J Cardiovasc Nurs. 1997; 11: 53-65. 55.
  6. 6-    RODRIGUES, C. E. C. Personal Training. Rio de Janeiro: Sprint, 1996.
  7. 7-    FREITAS D. C.; SILVA F. A. G.; SILVA A. C.; LUDORF S. M. A. As práticas corporais nas academias de ginástica:um olhar do professor sobre o corpo fluminense. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v.33, n.4, Porto Alegre, out/nov, 2011.
  8. 8-    CUNHA, A. C. Os conteúdos físico-esportivos no lazer em academias: atividade ou passividade?. In. MARCELLINO, N. C. (Org.). Lúdico, educação e Educação Física. 2ª ed. Ijuí: Editora Unijuí, p.149-159, 2003.
  9. 9-    LUBISCO, Carla. Personal Training. E. F. Rio de Janeiro, v.4, n.15, p.4-8, mar. 2005.Disponível em: .Acesso: outubro, 2013.
  10. 10- MELHER, L. I. A. Aumenta a procura por personal trainer. Jornal Laboratório daFaculdade de Artes e Comunicação da Universidade Santa Cecília –UNISANTA, São Paulo, mar. 2000. Disponível em:< http://www.online.unisanta.br/2000/03-25/esporte2.htm>. Acesso: outubro, 2013.
  11. 11- SOMBRIO D. A. Motivos de adesão e aderência a prática de exercício físico do cliente/aluno de Personal Trainer no município de Criciuma – SC. Monografia apresentada Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC, Criciúma, 2011.
  12. 12- BOMPA, T. O. Periodização: teoria e metodologia do treinamento. 4. ed. São Paulo: Phorte, 2002.
  13. 13- CONFEF. Resolução CONFEF nº 056/2003. Disponível em http://www.confef.org.br/extra/resolucoes/conteudo.asp?cd_resol=103&textoBusca=.
  14. 14- OLIVEIRA, R. Personal trainer: uma abordagem metodológica. São Paulo: Atheneu. 1999

1



Postar um comentário